Quem somos

Somos a imagem e semelhança do nosso Criador.

“Somos um grupo, cuja  a finalidade é se descobrir em Jesus Cristo.”

Deivid Roberto Pinho

O Papa João Paulo II, assim se expressou : “No interior da Igreja apresentam-se vários tipos de serviços, funções, ministérios e formas de animação da vida cristã. Recordo, como novidade que emergiu em muitas Igrejas em tempos recentes, o grande desenvolvimento dos movimentos eclesiais, dotados de forte dinamismo missionário. Quando se inserem com humildade na vida das igrejas locais e são acolhidas cordialmente por bispos e sacerdotes nas estruturas diocesanas e paroquiais, os movimentos representam um verdadeiro dom de Deus para a nova evangelização e para a atividade missionária, propriamente dita. Recomendo, portanto, difundi-los e valorizá-los para restituir vigor, principalmente entre jovens, à vida cristã e à evangelização, numa visão pluralista de modos de associar-se e de expressar-se” (RM 72)

O nosso saudoso Papa João Paulo II, reforça uma grande verdade, somos Igreja Católica Apostólica Romana. Não há como olhar para os movimentos e separar essa identidade, pertencemos ao Corpo de Jesus Cristo.

Como nascemos ?

A juventude tem grande dificuldade para dar continuidade à sua caminhada na Igreja. O materialismo que impera no mundo moderno vai cada vez mais desanimando, afastando os corações do amor de Deus e destruindo a vida dos jovens. Não é necessário exemplificar quais são os maiores problemas existentes na sociedade moderna. E sabendo disto montei este encontro em julho de 1999, ou seja, mais especificamente no dia 23 do mesmo mês. Desde a minha conversão, eu me tornei um apaixonado pela pessoa de Jesus Cristo, pois no dia em que entendi o chamado fiquei em um estado de emoção profunda, chorava muito e vi o rosto do Sudário expresso na parede, atrás da Hóstia consagrada, no momento em que o sacerdote a elevou para que nós a Adorássemos. Isto aconteceu em uma missa que foi celebrada no retiro de carnaval de 1997 da pastoral da Juventude Diocesana.

A minha história se confunde com a do Fanuel, porque na minha conversão houve 3 elementos que estiveram comigo durante toda a minha infância.

O 1º elemento foi a face, pois quando eu era criança, adorava desenhar e desenhava a sagrada face, em muitas folhas, juntamente com o pão e o cálice com uvas próximas a ele.

Em determinado período me esqueci de Jesus, perdi o jeito para o desenho, até me converter, me apaixonar profundamente, com toda a intensidade da minha vida por Jesus Sacramentado, presente no pão e vinho consagrado, mergulhar na profundidade do amor expresso na face de nosso senhor no sudário, face que desenhava sem saber até os meus 12 á 13 1anos.

O tempo passou após esse retiro, mergulhei profundamente em estudos, adoração, serviços na Igreja, até um dia um amigo me disse que havia descoberto um nome na Bíblia, mais especificamente no livro de Gênesis, cap. 32 versículo, e o nome era Fanuel. Esta palavra significa face, e “El” que significa Deus. A união destas duas palavras formou o nome Fanuel que significa “Face de Deus”.

Tudo aquilo que eu havia aprendido na minha caminhada foi colocado neste encontro, para melhor desenvolver as espiritualidade através da descoberta da imagem de Deus presente em nós, mesmo sabendo que ainda estamos sendo plasmado espiritualmente para enchermos a plenitude da semelhança com o Pai. Por isso procurei usar a imagem do Sudário, pois como foi descrito acima minha conversão se deu através desta imagem e sempre me seguiu, pois hoje eu creio que desde antes do meu nascimento o Senhor havia me predestinado para Ele, como esta escrito na palavra dada a minha conversão.

A palavra é “antes que no seio fostes formado, eu te conhecia; antes de teu nascimento eu já te conhecia; eu já te havia consagrado…” Jr 1, 5a

Porque minha aos 13 anos foi ver um filme no cinema e lá havia um personagem que se chamava Deivid, e ela disse que seu primeiro filho seria homem receberia este nome, eu tenho certeza que naquele momento o Senhor tocou na minha mãe para tal atitude, e nove anos depois ela se casou, eu nasci e recebi este nome.

Como está escrito no salmo 138, 13. 16-18 “fostes vós que me plasmaste o meu corpo, vós me tecestes no seio de minha mãe. Nada de minha substancia vos é oculta quando fui formado ocultamente, quando fui tecida nas entranhas subterrâneas, cada uma de minhas ações vossos olhos viram, cada dia de minha vida foi prefixado, desde antes um só deles existisse. Ó Deus como são insondáveis para mim vossos designios”,

Deus têm um projeto para cada um e para minha vida foi conceber este movimento, eu digo conceber pois, após ter montado o encontro eu me senti esvaziado, e uma amiga que era mãe me disse que ela quando realizou o parto de sua filha se sentiu da mesma forma. Desda minha infância Deus me preparou para isso, e isso eu só entendi a pouco tempo, assim como Jesus, foi criado por um carpinteiro se tornou um para assim se familiarizar com a madeira na qual ele teria que ser elevado em sua paixão e morte, eu fui desde criança familiarizado com a face, o pão e o vinho, para no derradeiro momento cumprir este desígnio de Deus em minha vida, que como está no versículo 16 b,  ” … cada dia de minha vida foi prefixado desde antes que um só deles existisse.”

O Sudário observado com os olhos da fé é a fotografia que temos de Jesus, pois foi o mesmo que disse em Jo 14,8 “Quem me vê, vê o Pai”, e sabendo disto procurei utilizar o rosto do Sudário como simbologia principal do retiro para que ficasse expresso no coração do jovem o valor do sacrifício de Cristo e convidá-lo a ver e sentir a necessidade de mudança de vida através desta imagem sofrida de Deus pois como disse pe Jonas Abib ” Jesus é a face do Pai.” A face de Jesus nos faz imagem e semelhança de Deus.” Este é o objetivo de nossa vida : Ser a cara de nosso Pai. Isso é santidade. Santidade real. Concreta. santidade de pés no chão e coração no Céu, porque os olhos estão continuamente na face de Jesus.

” Dentro do fanuel também foram surgindo tradições, ou seja, inspirações que aconteceram no início do trabalho uma delas é ” Amar incondicionalmente”, pois tudo nesta vida passa mas o amor nos torna humano, semelhantes a Deus, plenos em Deus, o amor verdadeiro, sincero, sem mácula alguma é a “luminária transformadora” e é capaz de dissipar as trevas de nossa vida e ilumina-la.

Temos também como tradição a 1 ave-maria diária pelo movimento, pode parec

“ Começamos com a ideia Jovem evangelizando jovem…”er pouco, mas toda oração é ouvida por Deus, não existe oração potente o bastante que pode obrigar a Deus a produzir uma graça especial pois Deus é livre a oração ouvida é aquela oração humilde, feita com a vida de quem reza como espelho, ou seja, reflito na minha oração todo o meu sentimento pelo Senhor. É Maria Santíssima com certeza suscitou em meu coração.

No dia 23 de Julho de 1999, Deivid apresenta o projeto e começa a explicar aos 6  jovens. Iniciou um aprofundamento envolvendo adoração, oração e formação que durou 1 ano e 4 meses.

Os três pilares do Movimento : Oração, Comunhão e Adoração.

“O carisma é a expressão do amor de Deus, vividas pelos primeiros jovens do movimento.”

“… mas com o passar do tempo houve a necessidade de ampliar o campo de ação. E começamos a evangelizar adultos e posteriormente adolescentes.”

Texto escrito por Deivid Roberto Pinho.


Mas vem a hora e já chegou em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espirito e em verdade, e são esses os adoradores que o Pai deseja

(João 4,23-24)

Próximos eventos:

no event

Curta-nos no Facebook